27 de novembro de 2018

Encontro Estadual da Primeira Infância debate atuação do programa Criança Feliz em Sergipe


Na manhã desta terça-feira, 27, aconteceu a abertura do 1° Encontro Estadual de Primeira Infância no Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e do Programa Criança Feliz, promovido pelo Governo de Sergipe através da Secretaria de Estado da Inclusão e Assistência Social (Seidh). Com o objetivo de reunir gestores e técnicos dos municípios para debater a importância do desenvolvimento e fortalecimento das políticas públicas voltadas para a primeira infância em Sergipe, o evento vai até amanhã, dia 28, com uma programação preenchida por palestras e debates ligados ao ciclo da assistência.

Dentre os temas abordados estão: ‘Atuação na rede socioassistencial para a garantia da integralidade no atendimento no programa Criança Feliz’, ‘Relação e articulação do Cadastro Único e Programa Criança Feliz com o prontuário do SUAS’, ‘A importância do desenvolvimento infantil e a articulação com os diversos atores no cuidado com a primeira infância’, ‘Estratégias e articulações para estimulação do desenvolvimento de crianças com deficiência’.

Para a superintendente Executiva da Seidh, Roseli Andrade, é uma grande satisfação trabalhar na contribuição da melhoria dos serviços sociais dentro dos municípios, visto que o Criança Feliz foi um pioneirismo de Sergipe e exemplo para todo o Brasil. “Esta ação é mais um reflexo da colaboração do Governo de Sergipe na facilitação do acesso das famílias aos projetos sociais disponíveis para a população. O Criança Feliz faz a diferença na vida de muitas crianças e famílias em vulnerabilidade social”, declarou.

Criado pelo Governo Federal, o programa Criança Feliz foi implantado em Sergipe em 2017 e já atinge números representativos nacionalmente, uma vez que o estado possui o título de iniciação na capacitação de supervisores e visitadores para a realização das visitas domiciliares. Atualmente, são 67 municípios que aderiram ao programa, totalizando 7.500 pessoas assistidas, divididas entre gestantes e crianças beneficiárias do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Segundo Edsina Izabel, coordenadora do Programa Criança Feliz na Seidh, o trabalho da Proteção Social Básica é o resultado do processo de união e da parceria entre os profissionais. “Não construímos nada sozinhos. Diversos profissionais da Seidh e órgãos parceiros estão envolvidos para que a assistência seja garantida aos usuários do SUAS. Na Assistência, temos vários desafios e a intersetorialidade é um deles. Temos equipes unidas das áreas da Educação, Cultura e da Justiça, que são membros do Comitê Gestor Estadual e colaboram na construção e no fortalecimento das Políticas Públicas”, pontuou, reforçando que, no segundo dia do evento serão premiados os cinco municípios que tiveram maior destaque no Criança Feliz.

Para Catharina Correa, gerente da Proteção Básica da Seidh, os dias de capacitação durante o Encontro Estadual permitem uma troca de aprendizado e reflexão para todos os técnicos. “É uma via dupla para nós. Colaboramos com a atuação dos técnicos na funcionalidade do programa e, ao mesmo tempo, conseguimos absorver novas informações. A união dos esforços colabora para o nosso crescimento e enriquecimento na promoção de novos eventos”, afirmou.

Lisane Marques, consultora do Ministério do Desenvolvimento Social, demonstrou entusiasmo na hora da troca de conteúdo com os técnicos sergipanos. “É com muita alegria que venho a Sergipe verificar o que vem sendo feito para o êxito do Criança Feliz. Essa é mais uma oportunidade de contribuir com o enriquecimento de todos os participantes, levando um pouco daquilo que conheço para cada um deles. Vamos realizar uma rede de conversas com o foco em fortalecer a assistência”, comentou.

Coordenadora e supervisora do programa Criança Feliz em Santa Rosa de Lima, Iole Rezende falou sobre a satisfação, enquanto técnica, de poder participar de um evento desse nível. “Fico feliz em fazer parte desta capacitação porque é uma oportunidade de agregar conhecimento e trocar experiências com outros municípios. Essa é uma forma de valorizar o profissional por ter a oportunidade de participar de um encontro estadual desse nível”, comemorou.